Florianópolis tem o pior trânsito do país, segundo Waze

Florianópolis foi classificada pelo Índice de Satisfação Waze (Waze Satisfaction Index) como a pior cidade do país para dirigir. A composição do índice é composta utilizando dados informados por condutores no aplicativo Waze, se baseando em notificação de buracos e reclamações sobre o tráfego.

No geral, o índice avalia a satisfação dos motoristas e para isso usa seis critérios: nível de trânsito (quão frequentes e ruins são os congestionamentos), segurança nas vias (número de acidentes, condições climáticas), qualidade das vias (buracos, desníveis), serviços ao motorista (como acesso a postos de gasolina e opções de estacionamento), fator econômico e social (como acesso a carros, aumento ou redução dos preços da gasolina) e “Wazyness”, que representa o quão boa é a rede de usuários do aplicativo em termos de ajuda aos colegas motoristas.

Entre todo os países onde a empresa atua, a pesquisa analisou dados de 39 e 217 cidades,  para criar uma nota que varia de satisfatório (10) a péssimo (1). Só foram consideradas cidades em que há pelo menos 40 mil usuários do aplicativo. Florianópolis teve nota 3,98, relativamente próxima da Rússia (3,78), avaliada como o 5º pior país para os motoristas.

No ranking nacional, depois da capital catarinense aparecem entre os piores municípios para dirigir as capitais Manaus (4,21), João Pessoa (4,58), Belém (4,66) e Vitória (4,75). Infelizmente o Waze não revela em quais critérios as cidades tiveram os piores desempenhos.

As cinco melhores estão no interior de São Paulo: Atibaia (7,47), São José do Rio Preto (7,43), grande Campinas (7,20), Sorocaba (7,17) e Taubaté (6,95).

Segundo o professor Werner Kraus Junior, do Observatório de Mobilidade da UFSC, é difícil posicionar-se sobre o estudo, já que ele leva como principal critério a satisfação dos motoristas, e não necessariamente dados mais concretos, como o tempo perdido no trânsito. De qualquer forma, ele diz que a única solução para melhorar o tráfego caótico nas metrópoles brasileiras é investir pesadamente em soluções para o transporte público de massa.

— Em Florianópolis, um único incidente, como a queda de uma placa na Via Expressa, pode parar a cidade. Temos que pensar que a era do automóvel como meio de locomoção nas cidades já chegou ao fim. Na Europa, os jovens já não são mais atraídos pelo carro. Nós também precisamos pensar em maneiras de como sair desse buraco — diz.

gps mapa
No ranking mundial, os melhores países para os condutores de automóveis são, nesta ordem, Holanda (7,90), França (7,85), Estados Unidos (7,55), República Tcheca (7,49) e Bélgica (7,41).

Já os piores são Filipinas (3,02), República Dominicana (3,35), El Salvador (3,56), Indonésia (3,71) e Rússia (3,78).

Em todo o mundo, 90 milhões de pessoas em 185 países utilizam o aplicativo que pode ser baixado AQUI.

Curta e Compartilhe!
0