Laguna

Impossível começar a falar de Laguna sem citar ser a terra da grande heroína Anita Garibaldi (Ana Maria de Jesus Ribeiro) que foi companheira de Giuseppe Garibaldi, general e revolucionário de batalhas armadas no Brasil e na Itália no século 19.

Ainda hoje a cidade em estilo colonial guarda os fortes traços ocupação açoriana da época e presta suas homenagens.
Com seus 338 anos e distante 110 KM da capital catarinense, Laguna é repleta de belas paisagens naturais e tem seu conjunto arquitetônico tombado pelo patrimônio histórico nacional.

Em 2 dias de visita nesta pré-temporada de Verão pode-se enfrentar o vento frio pela manhã e encarar as águas geladas  e o sol forte de dias com o céu de anil!
Na região central, encontra-se a praça e ao lado o Museu Anita Garibaldi, o Marco de Tordesilhas e os prédios históricos. As ruas de pedra nos remetem aos tempos antigos e também são caminho aos pontos mais distantes, como as praias.

A avenida beira-mar proporciona a facilidade de inúmeras vagas de estacionamento, assim como calçadas largas e faixa de areia ainda mais larga.
Porém já nota-se duas grandes diferenças das “praias do norte”, sendo a falta de árvores na orla e o fluxo de carros na faixa de areia, que por sinal é algo normal, aceito inclusive pelas autoridades.

Abrindo-se uma breve comentário sobre a circulação de veículos na areia, observou-se boa conduta de motoristas, a possibilidade de convívio entre públicos distintos (jovens, casais, famílias) e níveis de poluição não diferentes ao de praias de regras mais rígidas, como observado no Norte do estado.

Na região norte, mais propriamente na Praia do Gi, encontra-se a Pedra do Frade, uma escultura natural de 9 metros de altura, onde dois blocos de pedra permanecem em vigília na beira do mar, desafiando as leis da gravidade. Tida como marco inicial do Tratado de Tordesilhas, citado também como posta por índios pré-históricos e até mesmo por extraterrestres a imensa escultura nos dimensiona à insignificância do ser humano diante da natureza.

Pegando-se uma balsa no centro da cidade pode-se seguir em direção ao Farol de Santa Marta, distante 17 KM, administrado pela Marinha e construído pelos franceses em 1891 é considerado o maior das Américas e o 3º do mundo em alcance. O custo da balsa é de R$ 9,00 por carro e pedestres não pagam a travessia, que dura cerca de 15 minutos.

Outro ponto para ser visitado é o Morro da Glória. Um caminho estreito de pedras, onde sobe-se de carro e chega-se a uma linda vista panorâmica da cidade e tem-se a imagem de Nossa Senhora da Glória, abençoando toda Laguna.

Informações da balsa AQUI.