Parque Nacional de Aparados da Serra

O Parque Nacional de Aparados da Serra é uma unidade de preservação, que juntamente com o Parque Nacional da Serra Geral, ambos administrados pelo ICMBio, formam a região dos cânions, que fazem a fronteira natural dos estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

A maior “estrela” da região é o cânion Itaimbezinho, mas estão como vizinhos também os cânions Malacara e Fortaleza, o 1º a caminho de SC e o 2º ainda no lado gaúcho, mas acessível somente com veículo 4×4, através de “estradas” bem difíceis, onde preferencialmente deve-se contratar uma agência.
O inicio da aventura se dá pela cidade gaúcha de Cambará do Sul ou por Praia Grande, em Santa Catarina.
Inúmeras agências nas duas cidades levam para as trilhas ao interior dos cânions, bem como para as caminhadas nas bordas, mas alguns passeios podem ser feitos por conta própria, sem a necessidade de guia local, como fizemos nessa passagem rápida.

Fizemos o “pior” caminho para chegar na região, vindo de Bom Jardim da Serra, através do Pico  do Montenegro, rodando algo em torno de 150 km em aproximadamente 6 horas, algo que recomendamos apenas pra quem gosta muito de interior, que tenha paciência e esteja com o carro em ordem. Por estrada de terra, percorre-se quilômetros intermináveis de morros e trechos com puro cascalho, sem sinal telefônico e pouca civilização, a baixíssima velocidade. Ficar sem gasolina ou ter qualquer problema mecânico nessa região é “pepino”, mas a sensação e o visual  de sair da rota turística é ótimo!

Parte boa do caminho entre Bom Jardim da Serra e Cambará do Sul.
Parte boa do caminho entre Bom Jardim da Serra e Cambará do Sul.

Fomos direto a sede do Parque Nacional de Aparados da Serra, que fica na parte alta do cânion Itaimbezinho.
Ali paga-se R$ 8,00 por pessoa e R$ 5,00 por veículo para acessar a atração. Na sede, conhece-se a história geológica dos cânions, a fauna, flora, as trilhas e através de uma maquete consegue-se ter noção da dimensão da fenda que estamos visitando.

A trilha mais longa e mais difícil do parque é a do Rio do Boi, que fica no interior do cânion, que é um dos maiores do Brasil. Seu acesso se dá por Praia Grande e apenas pode-se faze-la com acompanhamento de guia. Leva-se até 7 horas para percorrer aproximadamente 8 km, por dentro do cânion, inclusive atravessando o rio! Essa ficou pra próxima. 🙁

Na parte alta do cânion pode-se partir pra Trilha do Cotovelo, com 6 KM de extensão, a qual pode-se iniciar somente até às 15hs. Boa parte é feita por uma antiga estrada interna do parque e o restante do caminho pela borda da fenda. A imagem clássica, dos paredões com o Rio do Boi no fundo do cânion é vista do mirante dessa trilha. Pode-se fazer o trajeto de bike própria ou de alguma agência local.

A outra trilha da parte superior é a do Vértice, que possui 1,5 KM de extensão, onde do primeiro mirante é possível ver a Cascata das Andorinhas, formada pelas águas do Arroio Perdizes. Seguindo para o segundo mirante é possível ver a Cascata Véu da Noiva, formada pelo rio Arroio Preá que forma o Rio do Boi, com uma queda de 500 metros. No terceiro mirante é possível ver as duas cachoeiras e o início do Cânion Itaimbezinho, que é em forma de vértice e dá origem ao nome da trilha.

A imensidão dos desfiladeiros nos deixa de boca aberta, sendo realmente um dos locais mais lindos e com toda certeza dos mais grandiosos do nosso estado (ok, não só do nosso estado!).
A trilha tem praticamente metade do caminho calçado e outra metade de terra, porém o deslocamento é extremamente fácil, até mesmo para idosos ou pessoas com crianças.
Na sede do parque encontra-se banheiros e bebedouro, porém não há venda de nenhuma espécie de alimento, bebida ou souvenir, por isso não esqueça de levar seu lanche, principalmente se for fazer a Trilha do Cotovelo.
Ressalta-se a importância de não se ultrapassar as correntes que limitam a proximidade da borda dos cânions. Comumente se vê pessoas que por causa de uma selfie ou para “ver melhor” ultrapassam os limites de segurança e colocam sua vida em risco eminente, por isso, educação e bom senso.

Saindo do Parque Nacional de Aparados da Serra rumo a Praia Grande, descemos a Serra Geral muito próximo da borda do cânion Malacara, onde temos uma visão linda do vale que se estende em direção ao mar.
21
Pelas máquinas e marcações na estrada de terra tudo indica que o caminho está passando por obras de expansão. A pavimentação do trajeto até São João do Sul, nos arredores da BR-101 tornaria o caminho uma “nova Serra do Rio do Rastro”, esperamos ainda ver a estruturação do caminho, que até então é precário.

Em breve passaremos novamente pela região dos cânions exclusivamente para percorrer o interior deles, aguardem!

Curta e Compartilhe!
0