Verão e os riscos de afogamento: Veja como evitar

No Verão, a combinação de altas temperaturas com maior quantidade de banhistas pode ajudar a aumentar o número de casos de afogamentos em praias, rios e piscinas. Todo ano são as mesmas trágicas noticias.

O calor faz inúmeras pessoas procurarem as rios, cachoeiras, represas ou o próprio litoral para curtir as férias. Entretanto, é preciso ter cuidados para que a alegria não se transforme em tristeza.

Metade das ocorrências estão relacionadas com adultos entre 20 e 49 anos. Para evitar riscos desnecessários, observe os seguintes cuidados:

1) PREVENIR, PARA O PIOR NÃO ACONTECER

Atenção às placas de sinalização do Corpo de Bombeiros nos locais de maior perigo. Sabe aquela frase que os pais diziam quando você era criança, de que água no umbigo é sinal de perigo. Eles estão certos, seja no mar ou em rios, água acima do umbigo pode representar risco de afogamento.

2) DIVERSÃO SEM SUSTOS

Muita gente não toma precauções durante a diversão na piscina ou nos rios. Por isso, é primordial lembrar que se evite saltar de locais elevados para dentro da água. Em casos de saltos, por exemplo, a vítima corre o risco de se lesionar ao atingir a superfície d’ água;

3) CUIDADO COM AS CRIANÇAS

Vai se divertir com crianças, então, fique de olho neles. Não permita que entrem na água sem a supervisão de um adulto. Todavia, é importante também lembrar sobre o perigo de crianças se perderem dos responsáveis, uma pulseirinha pode evitar desaparecimentos.
Não confie na falsa impressão de segurança que comumente os pais têm com o uso de boias e com a presença de outros banhistas conhecidos

4) EVITANDO MAIS AFOGAMENTOS

Em muitos casos de afogamento, com o desespero de socorrer a vítima pessoas que não sabem nadar pulam na água para realizar o salvamento. Contudo, isso não é recomendado, o aconselhável é lançar objetos flutuantes (bolas, boias, isopores, galhos, pranchas) ou então corda para salvar a pessoa ao invés da ação corpo a corpo;

5) BRINCADEIRAS COM CAUTELA

Evitar brincadeiras de maus gostos na água, como o conhecido ‘caldo’ é indicado para evitar possíveis afogamentos. Tomar cuidado em caminhar sobre as superfícies rochosas, que podem estar escorregadias, é importante, para evitar que a pessoa possa cair ou se cortar. Além disso, evite brincadeiras fingindo que está se afogando, pois além de perturbar a paz pública, havendo um afogamento verdadeiro as pessoas podem não dar importância pensado em se tratar de outra brincadeira de mau gosto;

6) CUIDADOS NA PRÁTICA ESPORTIVA

É importante tomar alguns cuidados durante a prática de esportes como caiaque, surf, stand up paddle, pesca, entre outros. Colete salva-vidas é primordial não praticar esportes aquáticos. Vale lembrar, da importância do uso do colete certo em relação ao tamanho e peso de quem o utilizar.

7) SIGA NA DIREÇÃO CERTA

Em caso de perigo, tente manter a calma e não nade contra a correnteza. Sinalize com os braços para pedir ajuda. Nos rios, caso perca o controle, nade no mesmo sentido da correnteza, tente ficar mais próximo das laterais e procure se aproximar lentamente das margens;

8) NÃO COLOQUE ÁGUA NA SUA BEBIDA

Não entre na água se estiver alcoolizado. O uso de bebidas alcoólicas tira o senso de perigo e expõe a pessoa a riscos desnecessários.

9) REDOBRE O CUIDADO A NOITE

Evite ou redobre a atenção com os mergulhos noturnos em mares e rios, pois há riscos de ficar preso em redes de pesca, além do que a visibilidade do ambiente fica comprometida

10) CUIDADO COM OS FLUXOS DE ÁGUA

Mantenha a atenção quanto a maré, zonas de repuxo, correnteza e cabeças d’água, que em rios e cachoeiras são o aumento repentino e inesperado do fluxo, transformando totalmente o ambiente em algo extremamente perigoso.